Iniciativa de Minas Gerais pelo patrimônio cultural ganha prêmio nacional

O sucesso da 1ª edição da Jornada Mineira do Patrimônio Cultural foi reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A estreia, em 2009, do projeto desenvolvido pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG) para promoção do patrimônio foi a ação vencedora da Categoria Divulgação do 23º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, uma das mais importantes premiações da área. Na próxima quarta-feira (20), o presidente do Iepha/MG, Carlos Roberto Noronha, receberá em Brasília (DF), um troféu, um certificado e um aporte de R$ 20 mil para investimento no projeto.

Realizada nas diversas regiões de Minas Gerais durante todo o mês de setembro, a Jornada ganhou grande repercussão estadual, nacional e até mesmo internacional, em função de ter recebido a chancela do Ano da França no Brasil em sua primeira edição. Naquele ano, foram mais de 1500 ações de preservação e valorização do patrimônio cultural mineiro reunidas sob um grande trabalho de articulação e divulgação realizado pelo Iepha/MG.

Jornada

Seminários, apresentação de grupos de cultura popular, festivais de arte e gastronomia, exposições, visitas guiadas, educação patrimonial, oficinas e gincanas culturais foram algumas das atrações que aconteceram nas mais diversas regiões de Minas Gerais durante todo o mês de setembro de 2009. As atividades, relacionadas à preservação e divulgação do patrimônio cultural compuseram a programação da primeira Jornada Mineira do Patrimônio Cultural, um dos maiores eventos culturais já promovidos no Estado, e que já teve sua segunda edição no último mês de setembro.

A ação, promovida pela Secretaria de Estado de Cultura e pelo Iepha/MG, é pioneira no país e um de seus destaques é a proposta do Patrimônio de Portas Abertas. A iniciativa permite que as pessoas tenham acesso, ao menos por alguns dias, a uma série de bens culturais tombados. Muitos destes bens, de propriedade particular ou uso restrito, permanecem fechados à visitação pública durante o ano inteiro e são acessíveis apenas por ocasião da Jornada.

Jornada 2010

Com mais de mil ações culturais novamente movimentando todo o mês de setembro, a 2ª Jornada Mineira do Patrimônio Cultural foi regida pelo tema Patrimônio Cultural e Cidadania. Mais uma vez, o objetivo foi sensibilizar agentes públicos, escolas, associações e população em geral para a execução simultânea de ações de preservação do patrimônio em todo o Estado.

Premiação

Sessenta e quatro concorrentes chegaram à segunda etapa de seleção do 23º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, após passarem por uma pré-seleção, realizada em julho pelas comissões estaduais presididas pelos superintendentes do Iphan em cada estado. Antes desta primeira peneira, o conjunto de inscrições apresentadas ao prêmio chegou a 174.

Esta é a segunda vez que o Iepha/MG conquista o prêmio. Em 2002, o programa de Municipalização do Patrimônio Cultural de Minas Gerais, por meio do ICMS Patrimônio Cultural, também foi reconhecido.

 

Vencedores

 

Artesanato do Vale do Jequitinhonha ganha espaço em exposição em São João del-Rei

A partir da próxima quarta-feira (20), os visitantes e turistas que estiverem em São João del-Rei, na região do Campo das Vertentes, terão a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história dos artesãos do Vale do Jequitinhonha.

A exposição O Barro que Encanta será realizada no Centro Cultural da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Solar da Baronesa. O evento é promovido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), por meio da Superintendência de Artesanato, em parceria com o Centro de Artesanato Mineiro (Ceart), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG) e a Usiminas.

A exposição está inserida dentro da programação do Congresso Nacional de Técnicas para Artes do Fogo 2010, que pela primeira vez será realizado em Minas Gerais. “Acredito que a escolha do local foi em função da tradição do artesanato mineiro e da inclusão dos cursos Arquitetura, Música e Artes Aplicadas na UFSJ”, comenta a superintendente de Artesanato, Maria Amélia Dornelles.

A superintendente de Artesanato explica que o principal objetivo da participação da Sede no evento é proporcionar boas oportunidades aos artesãos de comercializarem seus produtos. “Estamos nessa feira com uma curadoria chamada de social, levando cerca de 600 peças que serão comercializadas”. De acordo com Maria Amélia, “na maioria das vezes, os artífices apenas participam do processo de produção sem atuar diretamente na venda de seus trabalhos”.

As peças de artistas como Dona Izabel, de Santana do Araçuaí, Zezinha, de Coqueiro Campo, Ulisses Pereira, de Caraí, e Ulisses Mendes, de Itinga, estarão reunidos na exposição que revela uma das grandes identidades culturais do Estado.

A exposição O Barro que Encanta também irá proporcionar aos artesãos participantes uma troca intensa de experiências. “Durante todo o período, os artífices do Vale do Jequitinhonha terão contato com ceramistas de diversos lugares do Brasil, podendo, dessa forma, conhecer de perto outras técnicas e habilidades do artesanato brasileiro”, finaliza Maria Amélia.

Serviço:

Evento: Exposição “O Barro que Encanta”

Local: Centro Cultural da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Solar da Baronesa

Data: 20 de outubro a 15 de novembro

Horário: Diariamente, das 8h às 20h

Entrada franca