Anastasia: Combater as desigualdades regionais é um compromisso

Fonte: Amanda Almeida e Bruno Mateus – Estado de Minas

“Combater as desigualdades regionais é um compromisso”

O candidato à reeleição ao governo de Minas, Antonio Augusto Anastasia (PSDB), acusou o PT de não se preocupar com uma “boa gestão pública”, uma das principais bandeiras dos tucanos. Segundo ele, essa é a maior diferença entre o PSDB e o partido aliado ao seu principal concorrente ao Palácio da Liberdade, Hélio Costa (PMDB). “Para que o PT possa esconder, digamos assim, essa sua não preocupação com a gestão pública, ele, de maneira completamente equivocada e de maneira enganosa, diz que se preocupar com a questão pública é algo frio. É algo que não leva à inclusão. É algo neoliberal”, afirmou o governador, em sabatina promovida pela Revista Ragga, Ragga Drops, Estado de Minas e Diários Associados, na manhã de ontem.

Anastasia respondeu a perguntas de estudantes da Escola Estadual Antônio Carlos, do Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH) e do Colégio Marista, no Espaço Cultural do Estado de Minas. O governador falou sobre suas propostas para os próximos quatro anos, caso seja reeleito, e destacou a continuidade e avanço de projetos bem-sucedidos do ex-governador e candidato ao Senado Aécio Neves (PSDB). Questionado sobre educação, ele disse que o grande desafio é superar a queda de qualidade do ensino público no Brasil, devido à expansão de vagas. Segundo ele, o governo Aécio já deu grandes passos com a reforma da estrutura física de escolas públicas que estavam “sucateadas” e investindo no salário de professores estaduais.

Os jovens participantes da sabatina provocaram Anastasia a falar sobre as diferenças entre PSDB e PT, ao pontuarem que cresceram com oito anos de governo federal petista e governo estadual tucano. O governador disse que ambos os partidos tiveram origem semelhante, pois surgiram da oposição à ditadura militar. “Mas há uma dessemelhança que, a mim, causa muito incômodo”, referindo-se a “uma falta de preocupação com a gestão pública”. Segundo ele, a promessa nunca cumprida de obras como a do Anel Rodoviário, em Belo Horizonte, e o atraso na entrega do pontilhão substituto ao macabro Viaduto das Almas, em Itabirito, na Região Central de Minas, poderiam ter avanços com uma melhor gestão.

Anastasia falou ainda sobre saúde, prometendo manter em funcionamento o hospital do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) e descentralizar o atendimento de saúde, criando hospitais regionais. Na cultura, o governador disse que promoverá mais festivais culturais no interior do estado. Questionado sobre inclusão social, ele disse que ampliará o projeto Plug Minas, que atende jovens carentes. O candidato garantiu que investirá mais nas regiões Norte, Vale do Jequitinhonha e do Mucuri, para acabar com as desigualdades regionais. “É justo, porque são as regiões mais desiguais e carentes do estado.”

Anastasia ressaltou a importância do evento e aproveitou a ocasião para parabenizar os estreantes em eleições: “Cumprimento todos os jovens que estão votando pela primeira vez e iniciando a vida na democracia, o que é muito importante”. E fez um pedido: “Avaliem bem as propostas dos candidatos. Vocês terão tempo, ainda há três semanas para conhecer as propostas, os princípios, valores e, especialmente, quais são as ideias que têm amparo na realidade, aquelas que são possíveis de serem realizadas.”

No fim do encontro, o governador disse ter ficado satisfeito com a sabatina. “Foi um clima muito bom. São jovens interessados na política, com perguntas interessantíssimas, de profundidade. Fiquei muito satisfeito”, disse. O evento foi transmitido ao vivo pelo portal em.com <http://em.com> .

Confira, a seguir, trechos da sabatina:

SAÚDE
Qual é o seu projeto para o hospital do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais? A razão do questionamento é pela existência de uma conversa entre os funcionários públicos de que o atual governo pretende destinar o hospital ao atendimento a toda a população, em prejuízo dos servidores que fazem contribuição mensal para mantê-lo. Qual plano o senhor tem, se eleito, para a área da saúde do funcionário público e dos servidores?
Marcelo da Cruz Mattos, por e-mail

É bom esclarecer que em momentos de eleição sempre aparecem boatos e, infelizmente, com motivos não muito nobres. Essa pergunta é boa e quero ter a oportunidade de esclarecê-la. O hospital não só vai permanecer normalmente, como pela primeira vez na sua história está sendo reformado. O atendimento ao servidor continua muito forte e, mais do que isso, também pela primeira vez, conseguimos estendê-lo ao interior do estado, de maneira objetiva, por meio de convênios com hospitais locais. O hospital central continua sendo em Belo Horizonte, mas o servidor que está em Uberlândia, Montes Claros, para evitar que venha até aqui, tem lá o seu atendimento. O hospital da Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais continuará exatamente como está, melhorando a sua qualidade em razão da reforma que está em curso.

DROGAS E COMBATE AO TRÁFICO
Não é novidade que a droga e o tráfico se alastram não só pela capital, mas também pelas cidades do interior. O crack, em especial, chama a atenção. Como o senhor encara esse problema e, se eleito, como pretende atacá-lo?
Bruno Mateus, sub-editor da Revista Ragga
Temos que atuar em várias frentes: primeiro, a questão da prevenção para evitar que a pessoa fique viciada, uma vez que é uma doença. Há um programa da Polícia Militar chamado Proerd. A polícia vai às escolas públicas e privadas e faz uma demonstração de quais são os efeitos danosos da droga. O segundo passo é a saúde pública, o Programa Saúde da Família. Depois temos que combater o tráfico. Para isso, temos de ter colaboração do governo federal, porque a droga não é feita aqui, vem de fora, das nossas fronteiras, que, lamentavelmente, estão muito expostas. O terceiro, e mais importante, é evitar o consumo. Se não conseguimos prevenir, não vamos ajudar as pessoas que estão com a dependência química a sair dela. Nós temos um modelo, que é muito copiado por outros estados, e fazemos convênios com entidades da sociedade civil e instituímos nessas comunidades o tratamento, ora com o aspecto religioso, ora com o profissional, e todas as metodologias que existem para evitar que as pessoas continuem com essa dependência extremamente danosa não só a elas mesmas, mas para a família e seu aproveitamento social.

EDUCAÇÃO
O senhor vai promover o passe-livre para os estudantes?
Rafael Heleno, estudante
É bom lembrar o que pode fazer o presidente da República, o governador e o prefeito. O passe-livre nas cidades é de responsabilidade dos prefeitos, cabe à Câmara Municipal votar e deliberar sobre a questão. Sou totalmente favorável, mas para adotá-lo temos de saber que haverá uma compensação no preço da passagem. Se há um benefício, uma isenção, a lei é clara: a passagem deverá ter uma compensação. Essa compensação tem que ser discutida entre os donos das empresas, os concessionários, e a prefeitura, que neste caso é o poder que delega. Acho que é uma luta que os estudantes, principalmente os secundaristas, têm há muitos anos e acredito que é chegada a hora de conceder o passe-livre, porque o custo do transporte é alto e os alunos têm dificuldade.

Como fica a situação dos professores efetivados na Lei 100?
Mariana, estudante
A Lei 100 foi criada no nosso governo com o objetivo de dar segurança aos professores que estavam em situação de insegurança, porque não tinham vínculo permanente, eles eram convocados, não havia uma relação permanente. Fizemos uma proposta, a lei foi aprovada na Assembleia e os professores foram efetivados. Nosso governo não vai acabar com a Lei 100, fomos nós que a criamos. Defendemos rigorosamente a Lei 100 e sua plena aplicação.

Eu, como aluna, gostaria de ter um ambiente agradável, com professores satisfeitos. O que acontece com a verba da educação, que é tão mal distribuída?
Larissa Souza, estudante
O grande desafio do gestor hoje é devolver a qualidade ao ensino, temos que voltar ao padrão de excelência do passado. Para isso, temos de atacar em diversas etapas. A primeira é a estrutura física. Nos últimos anos nós conseguimos reformar quase todas as escolas do estado. Fizemos quadras, laboratórios de informática em praticamente 100% das escolas. É claro que sempre haverá necessidades e nós sabemos disso. A segunda questão é de metodologia, de conhecer como se dá aula, quais são os métodos de aprendizagem e como nós podemos evoluir. O terceiro ponto, e mais delicado, é tornar a carreira do magistério mais atraente e trazer cada vez mais pessoas que trabalhem felizes. Nosso primeiro grande esforço foi botar ordem na casa, pagar em dia. Tudo dentro da realidade orçamentária do estado. Tínhamos o problema da evasão escolar e conseguimos reduzi-la em 56%. Temos que continuar semeando e estimulando para que nossa educação frutifique.

INCLUSÃO DIGITAL
O que o senhor vai fazer pela inclusão digital?
Pergunta de internauta por meio do videochat
A inclusão digital é o tema do momento. A tecnologia muda, e a própria sociedade também. Quero citar um programa que fizemos no estado e é uma referência. A Febem – no Bairro Horto, em Belo Horizonte –, muito mal afamada pela sua história, foi desativada. Nas suas dependências colocamos matérias de inclusão digital, chama-se Projeto Plug Minas, e colocamos para atender os alunos do ensino médio do estado o que há de mais moderno em matéria de cultura digital. Quero levar para o interior. No momento em que conseguirmos espalhar o Plug Minas para outras regiões do estado e levarmos, por meio da banda larga, para Minas Gerais como um todo, onde é nossa responsabilidade na rede pública, nos órgãos do estado e nas escolas, teremos avançado muito mais.

CULTURA
O senhor tem falado muito na cultura, área que envolve muito o jovem. Qual a sua ideia de plano de governo com relação à cultura, principalmente no interior?
Henrique Portugal, músico
A cultura é algo que está especialmente dentro de nós, mineiros, de maneira atávica, genética, em todas as suas manifestações: música, teatro, cinema, dança, artes plásticas. Os mineiros têm uma sensibilidade cultural muito aguda. Durante muitas décadas, nós – poder público – nos equivocamos por só investirmos em Belo Horizonte e esquecemos dessa diversidade do interior. Nos últimos anos, nos esforçamos para descentralizar a política cultural. Fizemos o Fundo Estadual de Cultura, para que manifestações culturais do interior se consolidem. Temos um programa muito bonito que quero levar para Juiz de Fora e Uberlândia, o Valores de Minas. Conseguimos equipar quase mil bandas em todo o estado, isso é muito positivo. Minas Gerais, pelas suas vocações, pode servir de palco para grandes manifestações culturais e ao mesmo tempo estimular o turismo, gerando renda e emprego.

VALE DO JEQUITINHONHA
O governo Aécio Neves teve um olhar diferenciado para os vales do Mucuri e Jequitinhonha, as regiões mais pobres, e onde moro. O senhor vai seguir no mesmo sentido?
Marcílio, de Águas Formosas, pelo videochat
Quando o ex-governador Aécio tomou posse em 1º de janeiro de 2003, no primeiro mandato – eu estava como secretário de Planejamento e Gestão –, ele fez um compromisso da sacada do Palácio da Liberdade de que muitos duvidaram: que ele ia investir mais nas regiões do Jequitinhonha e Mucuri do que no resto do estado. Ao longo desses oito anos, nosso governo investiu quase R$ 3 per capita em relação a cada real investido no restante do estado. É justo, porque são as regiões mais desiguais e carentes do estado. Para que essas regiões se emancipem economicamente, o que temos de fazer é torná-las atrativas para que empresas ali se instalem e gerem empregos de qualidade. E é preciso ter infraestrutura, porque a empresa não vai se instalar em um lugar que não tem estrada, saneamento, hospital, telefone. Nosso primeiro passo foi construir uma rede de estrutura dessas regiões, construímos milhares de quilômetros de estradas, levamos telefonia celular para todos os municípios.

O JOVEM E A POLÍTICA
O que o senhor pensa em relação à descrença do jovem quando o assunto é política?
Maria Eduarda Ávila, estudante
Acho que esse pensamento existe, é uma realidade, mas tem que ser afastado, e só pode ser afastado por uma coisa: com bons exemplos. Porque, se o jovem, na sua formação, olha para o mundo político e só vê notícia ruim, maus exemplos, desvio, corrupção, politicagem no baixo sentido, isso desilude porque o jovem, por natureza, é idealista. Essa ideia do bom exemplo é que os jovens têm de participar. As pessoas de bem têm que participar, debater, cobrar, criticar e não podem perder a esperança. Vocês aqui esta manhã e os milhares que estão acompanhando pela internet, isso é um sintoma positivo de que os jovens estão se interessando novamente e isso é muito bom. Nós vivemos em uma democracia, e a democracia só vai se consolidar plenamente se os órgãos de hoje participarem, porque daqui a alguns anos um de vocês vai estar sentado aqui como candidato.

COPA 2014
A frota de veículos de Minas está em grande crescimento, mas o investimento na rede metroviária anda devagar. Tendo em vista que a Copa é logo em 2014, como o senhor pretende receber o evento, tendo pífios investimentos nessa área?
Diogo Dantes Lodi Andrade, estudante
Nós temos hoje uma realidade, não só de Belo Horizonte, mas do Brasil todo. Nossa infraestrutura econômica infelizmente causa alguns problemas, entre eles a questão dos veículos. As pessoas não querem ter somente a casa própria, mas também os seus veículos, e é obrigação do serviço público oferecer aos usuários a opção do transporte coletivo de qualidade. Oferecer transporte coletivo significa enormes custos. A prefeitura conseguiu realizar várias obras, como a Linha Verde e a reforma da Avenida Antônio Carlos. Essas foram as mais importantes, mas ainda falta muito perto das necessidades que nós temos. Agora, qual é a grande âncora do transporte coletivo nas grandes cidades? O metrô. O metrô da Região Metropolitana de Belo Horizonte é uma novela. Para que ele se desenvolva é necessário o investimento de alguns bilhões de reais. As obras viárias, como você pergunta, eu, por exemplo, acompanhei muito, por isso, a operação íntima e siamesa com a Prefeitura de Belo Horizonte, que é responsável pela maior parte das obras. É importante lembrar que em relação à Copa do Mundo teremos um mês de jogos e depois o legado do evento, e é exatamente esse o nosso propósito. Todos os governos têm a plena convicção de que essas obras são extremamente necessárias.

Tucanos X petistas
Tivemos oito anos de governo Aécio e oito anos de governo Lula. Na opinião do senhor, qual a diferença entre o PSDB e o PT?

Patrícia Aranha, editora do portal em.com <http://em.com>
Na origem, PT e PSDB se assemelham muito. Ambos nasceram em reação ao regime militar, ambos tiveram uma formação de origem social – um nos sindicatos e o outro nas universidades. Os princípios são próximos, inclusive, em 1994, houve a possibilidade de uma chapa que unisse o PT e o PSDB, mas não foi para a frente. Mas, em termos ideológicos, existe uma questão que é fundamental: nada vai funcionar se não tivermos a percepção no Brasil da importância do tema gestão pública. Só é possível governar bem se tivermos uma máquina administrativa funcionando bem, com responsabilidade. O PSDB se preocupa muito mais com isso. Aécio Neves colocou no centro da agenda brasileira a preocupação com sua gestão pública. E o PT não me parece, pelo seu comportamento, dar uma relevância à questão da gestão e, para esconder essa falta de preocupação, diz que a questão da gestão pública é excludente. Falar isso até causa arrepios às pessoas de inteligência mediana, porque não existe governo se não tivermos uma gestão pública profissional, que funcione bem, que não desvie dinheiro, que tenha bons objetivos. Agora, na política econômica, não vejo grande diferença. Na política de inclusão social, o esforço é o mesmo.

Comunidade Jurídica de Minas Gerais formaliza apoio à reeleição de Antonio Anastasia

Comunidade Jurídica manifesta apoio a Anastasia

Fonte: Coligação ” Somos Minas Gerais”

Cerca de 500 advogados e juízes aplaudiram de pé Anastasia, que defendeu a ética e a honestidade na vida pública

Minas Gerais e os mineiros merecem uma campanha eleitoral propositiva e civilizada. A declaração foi feita pelo governador Antonio Anastasia, na noite desta segunda feira (13/09), em Belo Horizonte, durante encontro em que cerca de 500 advogados e juízes da comunidade jurídica de Minas Gerais, que se reuniram para declarar apoio à reeleição de Anastasia. O governador reafirmou que irá manter sua campanha em alto nível, com a apresentação de propostas que melhorem ainda mais os indicadores sociais e econômicos do Estado e debatendo com todos os setores ideias que possam ser implantadas em seu governo.

“Desde o primeiro momento, eu disse aos presidentes dos partidos que apoiam a reeleição e aos coordenadores, que seria uma campanha propositiva, com base em ideias, propostas, programas de alto nível e de debates. É isso que precisamos ter em nosso Estado e é isso que significa civilização”, disse o governador, em seu discurso.
Por diversas vezes, o governador precisou interromper seu discurso em agradecimento aos aplausos acalorados. Numa delas, avaliou que a campanha chega à reta final e que seu governo continuará sendo pautado pela ética, eficiência e probidade.

“A campanha caminha para sua fase final e gostaria, neste momento, de reiterar aquilo que sempre tenho dito. É um pedido sincero, de muito mais do que um voto. É o pedido da convicção, o pedido do voto do coração, de saber que estamos do lado do bem, da probidade, da correção, da ética, da eficiência do serviço público, da profissionalização, do mérito e daquele que nós todos precisamos, daquilo que dizia o professor Paulo Neves, o povo tem direito do governo honesto. Esta ideia é a que temos de levar a todos os mineiros”, disse Antonio Anastasia.

Princípios
O governador aproveitou o encontro com os juristas para enfatizar que, eleito, manterá o compromisso de seguir à risca os princípios da administração pública. O artigo 37 da Constituição da República lista os principais princípios, conhecidos no meio jurídico como “Limpe”, cuja palavra reúne as primeiras letra das palavras legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

“O meu compromisso com os princípios que norteiam a nossa administração estão entranhados em meu DNA, no meu sangue. Tenho certeza que darei continuidade a este Governo, avançando e aprofundando nas políticas públicas, tendo a oportunidade, como governador, no próximo mandato, cada vez mais, de tornar estes princípios, que não são meus, são nossos e estão na Constituição. O nosso cotidiano será um belo exemplo para Minas, para o Brasil e para o mundo”, afirmou o governador.

Apoios
Antonio Anastasia foi aplaudido de pé ao fim de seu discurso por todos os presentes. Muitos fizeram questão de manifestar o apoio ao governador, como fez o professor e advogado Plínio Salgado, um dos organizadores do encontro.

“Conheço o governador a mais ou menos 20 anos e tenho o meu testemunho da sua organização, da sua capacidade, da sua inteligência, da sua experiência em administração pública. Se trata de um homem de bom caráter, íntegro, honesto e honrado. É a melhor alternativa que temos para o Governo de Minas”, afirmou.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Minas Gerais, Luís Cláudio Chaves, também destacou os valores éticos e a competência do governador. “Sei do seu comprometimento com as causas da Justiça e também com as causas sociais. Antonio Anastasia tem feito uma excepcional gestão. Ele, que implementou o Choque de Gestão, trará mais credibilidade às ações públicas em prol da cidadania. É o homem mais preparado para governar Minas. Além de professor universitário, tem várias experiências, como secretário de Estado, vice-governador e, agora, governador. Tem mostrado a disposição de lutar pelo povo mineiro com muita galhardia”, disse o presidente da OAB-MG.

O advogado Aluísio Alberto da Cruz Quintão é outro bacharel em Direito que votará em Antonio Anastasia: “É com muita satisfação que apoio a competência, a integridade, a experiência e a qualidade que ele demonstrou, nos últimos anos, servindo a Minas e ao país. Se o governador for reeleito, como esperamos, o nosso Estado ganhará muito, porque continuará uma administração profícua em benefício de todos os mineiros”.

Rede de Apoio
O governador Antonio Anastasia já havia recebido o apoio formal de todos os ex-presidentes da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Minas Gerais (OAB-MG): Gustavo de Azevedo Branco, Aristóteles Atheniense, Jair Leonardo Lopes, Marcos Afonso de Souza, Raimundo Cândido Júnior e Marcelo Leonardo.

Desde o início da campanha, a candidatura à reeleição de Antonio Anastasia vem recebendo o apoio de importantes segmentos da sociedade civil mineira. O governador recebeu o apoio público de ambientalistas; de médicos e profissionais da saúde; dos profissionais da cultura; dos sindicatos e cooperativas de táxi; dos sindicatos que reúnem os caminhoneiros; dos presidentes e dirigentes das torcidas do Atlético, Cruzeiro, América e Ipatinga; entidades de atendimento a dependentes químicos; Movimento das Donas de Casa e Consumidores; movimentos femininos; movimentos da juventude; dos motociclistas profissionais, acadêmicos; além de prefeitos e lideranças municipais de todo o Estado.

Anastasia apresenta programa Minas Logística para o Triângulo Mineiro

Antonio Anastasia destaca proposta do Minas Logística para o desenvolvimento do Triângulo Mineiro

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Em Frutal, ao lado de Aécio e Itamar, governador afirma que programa visa atrair novas empresas e gerar empregos de qualidade na região

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, destacou nesta terça-feira (14/09), em Frutal (Triângulo Mineiro), que, reeleito, pretende implantar uma rede de infraestrutura capaz de transformar Minas Gerais no “Estado logístico do Brasil”. A proposta está no seu Plano de Governo para o período de 2011 a 2014, lançado na semana passada. O objetivo é constituir uma rede de transporte integrada, composta por rodovias, hidrovias e ferrovias, que serão capazes de atrair novas empresas e gerar empregos de qualidade para a região.

Anastasia participou de carreata e caminhada em Frutal ao lado dos candidatos ao Senado da Coligação “Somos Minas Gerais”, Aécio Neves e Itamar Franco, e do presidente estadual do PSDB, deputado Narcio Rodrigues. Em entrevista na chegada a Frutal, o governador destacou que o Triângulo Mineiro, devido à posição geográfica, próxima a grandes centros consumidores, será uma das mais privilegiadas dentro do projeto Minas Logística.

“O nosso Plano de Governo foi lançado na semana passada e é um plano muito inovador, que prevê a criação de um programa chamado Minas Logística, que vai atender muito a região do Triângulo. Para dar mais infraestrutura e atrair mais empresas, prevê a criação de incentivos estratégicos para empresas gerarem mais empregos. Há uma grande obsessão com a criação de empregos de qualidade, com a qualificação profissional, com a melhoria da saúde, educação, segurança e infraestrutura. Ou seja, estamos apresentando propostas em todos os segmentos, para dar continuidade e inovar”, afirmou Antonio Anastasia.

O governador também destacou que o programa Estado Logístico será a continuidade de todos os investimentos em infraestrutura realizados nos últimos anos pelo Governo do Estado, durante o seu mandato e do ex-governador Aécio Neves. De 2003 a 2009, o Estado já investiu R$ 10,2 bilhões em pavimentação e melhoria de estradas, modernização de aeroportos, oferta de sinal de telefonia celular, saneamento básico e reforma, construção e modernização de hospitais, unidades básicas de saúde e escolas.

Caminhos de Minas
Dentro da proposta do Estado Logístico está o Caminhos de Minas, maior programa de obras viárias em execução no País. Por meio dele, serão pavimentados 222 trechos, com mais de 7 mil quilômetros de rodovias que fazem ligações regionais entre os municípios mineiros. O principal objetivo é garantir condições de competitividade para o transporte da produção da região, que concentra boa parte das usinas de cana-de-açúcar do Estado.

“Colocamos no programa Caminhos de Minas, três trechos aqui na cidade e que vão atender bastante e melhorar a infraestrutura, trazendo mais conforto e qualidade de vida aos habitantes de Frutal”, disse Antonio Anastasia.

Além do Caminhos de Minas, o projeto Minas Logística inclui ainda construção de hidrovias, busca de apoio junto ao governo federal em relação às ferrovias, além de investimentos em energia, telefonia celular e saneamento básico.

Crescimento nas pesquisas
O governador também comentou o resultado da pesquisa Ibope, divulgada na noite de ontem, que o colocar nove pontos percentuais à frente do candidato do PMDB, Hélio Calixto Costa. Segundo ele, o crescimento de sua candidatura comprovado pelas pesquisas eleitorais é resultado do trabalho de levar suas propostas aos mineiros de todas as regiões de Minas Gerais.

“Levar a nossa mensagem, nossas propostas, recebendo das lideranças e das pessoas sugestões ao Plano de Governo. A explicação é que as pessoas passaram a nos conhecer melhor, a reconhecer nosso trabalho, a continuidade do que Aécio Neves realizou. Reconhecem que as nossas propostas são melhores e que estamos trabalhando firmemente para o desenvolvimento do Estado. Então, isso significa o crescimento nas pesquisas, passamos e vamos ganhar as eleições”, disse Antonio Anastasia.

Na pesquisa realizada entre os dias 10 e 12 de setembro o governador subiu nove pontos ultrapassando a marca de 40% dos eleitores mineiros. Anastasia obteve 41% das intenções de votos, enquanto o candidato adversário, Hélio Calixto Costa, caiu para 32%.

A pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais. Foram entrevistados 1.806 eleitores. Está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) com o número 70.286/2010.

Recepção calorosa
Ao lado de Aécio Neves, Itamar Franco, Narcio Rodrigues e do prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão (PP), Anastasia foi recebido pela prefeita de Frutal, Maria Cecília Marchi Borges (PR), por lideranças políticas e apoiadores do grupo “Feliz Idade”, composto por 50 idosos, moradores de Conceição das Alagoas, também no Triângulo Mineiro.

Os candidatos seguiram em caravana até o centro da cidade, acompanhados por mais de 100 veículos, com buzinaço, ao longo de todo o trajeto. Ao chegarem à Praça da Matriz, no coração da cidade, eles foram recebidos com fogos de artifício. Anastasia, Aécio e Itamar fizeram caminhada pelo comércio, onde tiraram fotos e cumprimentaram eleitores.

Durante um pequeno pronunciamento, os candidatos foram ouvidos por centenas de pessoas no quarteirão fechado da rua Cônego Machado, no centro da cidade. Além da população de Frutal, comitivas dos municípios de Itapagipe, Planura, Conceição das Alagoas, Fronteira, Iturama, Carneirinho, União de Minas, Limeira do Oeste, Campina Verde, Pirajuba e São Francisco de Sales.

A população presente ressaltou o trabalho que vem sendo realizado pelo Governo de Minas e o compromisso dos governadores Aécio Neves e Antonio Anastasia com o desenvolvimento do Triângulo Mineiro.

“Acho que eles passam confiança para a comunidade, para os eleitores, mostram que estão presentes, que se preocupam com as questões relacionadas à região e que assim, o eleitor fica mais tranquilo, mais confiante. A gente vem acompanhando o trabalho deles dentro da política e são pessoas que têm mostrado um bom desempenho, compromisso com os interesses do povo”, afirmou a enfermeira Sirce Soares.

“Só de você andar aqui no Triângulo Mineiro, você nota a diferença que temos depois que o Aécio Neves entrou. E agora, confiamos muito no professor Anastasia”, disse o motorista David Custódio da Silva.

A prefeita de Frutal ressaltou que o apoio à candidatura de Antonio Anastasia se deve à seriedade e o comprometimento do governador com o desenvolvimento do Estado. “Ficamos honrados em recebê-lo porque acreditamos em seu trabalho, confiamos em sua seriedade, e a gente tem a certeza de que o melhor para Minas Gerais é Anastasia governador. Anastasia representa seriedade e comprometimento com a educação, com a saúde, com a habitação, com o social”, afirmou a prefeita.

Em Guaxupé, Anastasia diz que vai reforçar ações de Governo para combater falta de política nacional para o café

Antonio Anastasia afirma que reforçará ações do Estado para diminuir efeitos negativos da falta de uma política nacional para o café

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Em Guaxupé, no Sul de Minas, governador afirmou que estão em seu Plano de Governo a criação do Pró-Café e do Fundo Estadual do Café

O governador Antonio Anastasia afirmou nesta terça-feira (14/09), em Guaxupé (Sul de Minas), que, reeleito, pretende adotar uma política estadual de apoio à cafeicultura para diminuir os efeitos negativos provocados pela falta de compromisso do governo federal com a garantia de preço mínimo para cobertura dos custos de produção e a falta de política eficiente de renegociação das dívidas. Em seu Plano de Governo, lançado na última semana, Anastasia propõe a criação do Fundo Estadual do Café e do programa Pró-Café, que irá coordenar todas as ações do governo para no setor.

“Assumi o compromisso como governador do Estado de comandar a política estadual do café, do qual o fundo será um dos instrumentos, juntamente com o programa Pró-Café, que coordenará todas as ações do governo em relação ao café. O fundo será feito para ajudar especialmente aos médios e pequenos cafeicultores na questão relativa às garantias e ao seguro, de modo que o Tesouro do Estado também participe, junto com a política econômica nacional, que é a grande responsável, para alavancar cada vez mais a produção de café em Minas”, disse Antonio Anastasia.

Minas Gerais é o maior produtor nacional de café. A safra deste ano está estimada em 24,4 milhões de sacas. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o crescimento será de 24,7% em relação ao ano passado. O Estado também é o maior exportador de café do país. Nos sete primeiros meses do ano, as vendas de café de Minas Gerais para o exterior geraram US$ 1,8 billhão. O crescimento foi 21,3% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria de Comércio Exterior (MDIC).

Nos últimos anos, os produtores de café do país vêm encontrando dificuldades junto ao governo federal para renegociar as dívidas e criar uma política eficiente para a cafeicultura nacional. Em março de 2009, milhares de produtores participaram da Marcha do Café, em Varginha, no Sul do Estado, para chamar a atenção do governo federal sobre os problemas do setor.

Ao lado do ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado, Anastasia, candidato à reeleição, foi aplaudido por produtores de café da região. O município de Guaxupé é sede de uma das maiores cooperativas de café do mundo. A Cooxupé conta com 11 mil cooperados e recebe café de 100 produtores de municípios do Sul de Minas, Alto Paranaíba e do Estado de São Paulo.

Apoio da população e de prefeitos
Antonio Anastasia e Aécio Neves foram recebidos com festa no aeroporto de Guaxupé. Cerca de 250 pessoas esperavam pelos candidatos, entre prefeitos, produtores rurais e lideranças políticas da região.

Dezenas de carros acompanharam os candidatos em carreata pelas ruas da cidade, passando pela Praça da Saudade e seguindo até a avenida Conde Ribeiro do Valle, onde os candidatos iniciaram uma caminhada. Cerca de 500 pessoas acompanharam Anastasia e Aécio, que cumprimentaram e tiraram fotos com comerciantes e eleitores. No caminho, eles pararam na Pastelaria do Getúlio para tomar um cafezinho.

Prefeitos da região foram até Guaxupé prestigiar a visita do governador e manifestar o apoio à sua reeleição. O prefeito de Delfinópolis, José Geraldo Martins (PSDB), destacou que as ações do Governo nos últimos oito anos beneficiaram todo o Estado e foi um marco do desenvolvimento de Minas.

“Votar em Anastasia é dar continuidade ao excelente trabalho do ex-governador Aécio Neves. Votar em Anastasia é o que temos de melhor nos últimos anos, da melhor política do Estado de Minas Gerais. Votar em Anastasia é sinal de progressos para todos mineiros. O governador Anastasia será eleito e vai fazer um governo tão bom ou melhor que o do Aécio Neves”, declarou.

O prefeito de Itamogi, Janoario Arantes (DEM), destacou as obras realizadas na gestão Aécio/Anastasia. Ele afirmou que nunca o município recebeu tanta atenção de um governo do Estado.

“Itamogi é uma cidade com pouco mais de 12 mil habitantes. Estamos fazendo doze obras, só neste ano e meio de administração nossa. Isso por conta da ajuda do Anastasia e, claro, também do Aécio Neves, que era o governador. Isso vai melhorar muito a vida social na minha cidade”, afirmou.