Antonio Anastasia oficialmente anuncia descoberta de gás na Bacia do São Francisco em Minas

Antonio Anastasia anuncia oficialmente descoberta de gás na Bacia do São Francisco

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Governador diz que descoberta representa nova fronteira econômica para o Estado

“Há gás em Minas Gerais”. Com esta declaração, o governador Antonio Anastasia confirmou oficialmente nesta quinta-feira (02/09), a descoberta de gás natural, que ocorreu no último dia 27 de agosto, após a perfuração de um poço no município de Morada Nova de Minas, que está inserido na Bacia do São Francisco. De acordo com o governador, os resultados das primeiras explorações apontam para a abertura de uma nova fronteira econômica para o Estado e decorrem de um esforço empreendido pelo ex-governador Aécio Neves, para que a exploração de gás no São Francisco ocorresse depois de décadas de estudos iniciados na área.

“Há gás natural em Minas Gerais. Nós descobrimos uma nova fronteira econômica para o Estado. Há alguns anos, o governador Aécio Neves se empenhou muito para nós termos uma associação de exploração na Bacia do São Francisco, que foi estudada durante muitos anos”, afirmou Antonio Anastasia, destacando o esforço do governo de Minas, para que a Agência Nacional de Petróleo (ANP) realizasse, em 2005, os leilões de concessão nestas áreas.

O poço foi perfurado em Morada Nova de Minas, município localizado a 280 quilômetros de Belo Horizonte. A perfuração foi iniciada no último dia 22 de julho e atingirá, em um prazo de 60 dias, a profundidade de 2.500 metros. A descoberta dos primeiros indícios da existência de gás natural ocorreu no último dia 27, a uma profundidade de 1.440 metros com queima de gás natural na superfície em teste de formação.

Redenção Econômica
Para o governador Antonio Anastasia, a boa notícia é que o Estado poderá contar com as receitas provenientes dos royalties da exploração do gás, que são semelhantes aos do petróleo. As perspectivas a partir da descoberta são de uma mudança da estrutura econômica de Minas Gerais, que poderá vender o produto de outros estados. Além disso, a rede de gasodutos poderá ser ampliada, permitindo uma industrialização ainda mais rápida.

“Esta notícia é extraordinária, porque significa uma redenção econômica, não só para aquela região, como também para todo o Estado. Já que não temos petróleo em Minas, passamos a ter gás, o que será certamente suficiente para o nosso abastecimento, inclusive para outros estados, o que vai facilitar a nossa rede de gasoduto e permitir uma industrialização ainda mais rápida”, disse o governador.

A descoberta de gás na cidade já foi comunicada oficialmente, conforme determina a legislação, à ANP. Esta é a primeira descoberta de hidrocarbonetos, gás natural, na Bacia do São Francisco.

Antonio Anastasia reiterou que as descobertas foram possíveis graças à participação da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig). A companhia é uma das sócias, com 49% de participação, do consórcio Cebasf, responsável pelo Bloco SF-T-132, onde foi efetuada a descoberta. O grupo reúne também a Orteng Equipamentos e Sistemas (30% de participação), a Delp (11%) e Imetame (10%). O bloco foi arrematado na sétima rodada de licitação da ANP e o contrato foi assinado em janeiro de 2006. A Codemig participa também de mais quatro blocos na Bacia do São Francisco, sendo que dois deles são vizinhos aos de Morada Nova de Minas. O consórcio empreendedor investiu R$ 10 milhões em pesquisas e deverá aplicar outros R$ 11 milhões na perfuração.

“Alguns geólogos indicavam, desde a década de 60 ou 70 que essas áreas deveriam ter gás, mas nenhum governo teve a iniciativa, como o governador Aécio e o governador Anastasia, de correr atrás disso. É muito importante lembrar que a indução para a realização dos leilões de concessão dessas áreas partiu do Governo de Minas. Foi uma ação planejada há seis anos, voltada para o desenvolvimento econômico dessa região tão carente do Estado e que será uma nova fronteira econômica”, afirmou o presidente da Codemig, Oswaldo Borges da Costa.

“Essa descoberta vai ser mais um atrativo para que o Governo do Estado possa atrair diversos setores da indústria petroquímica, siderúrgica e de outros setores que têm o gás na sua matriz energética como insumo muito importante”, avaliou o presidente da Orteng Equipamentos e Sistemas, Robson Andrade

Novas explorações
A Codemig participou também em consórcio, ao lado da Cemig e parceiros privados, da 10ª Rodada de Licitação da ANP, realizada em dezembro de 2008,  para exploração de gás natural em outras regiões da Bacia do São Francisco. As duas estatais mineiras arremataram com parceiros privados os Blocos 104, 114, 120 e 127. As pesquisas de prospecção já foram iniciadas em julho deste ano e terão um prazo para conclusão até julho de 2013.

Veja onde estão localizados os outros blocos:

104

Campos Altos, São João do Pacuí, Ponto Chique, Coração de Jesus, Ibiaí, Buritizeiro, Lagoa dos Patos e São João da Lagoa.

114

Lagoa dos Patos, Buritizeiro, Pirapora, Jequitaí, São João da Lagoa e Várzea da Palma.

120

Buritizeiro, São Gonçalo do Abaeté, Três Marias, Lassance, Várzea da Palma e João Pinheiro.

127

São Gonçalo do Abaeté, Três Marias, Morada Nova de Minas e Lassance

132

Tiros, Biquinhas, Carmo do Paranaíba, Patos de Minas, Morada  Nova de Minas, Paineiras, Abaeté, Varjão de Minas e Cedro do Abaeté.

Datafolha confirma avassalador crescimento de Anastasia que sobe mais 6 pontos e tem 35%

Datafolha: Anastasia sobe mais 6 pontos e tem 35%

Pesquisa do Datafolha divulgada nesta sexta-feira (03/09) mostra que Anastasia sobe mais 6 pontos, pula de 29% para 35% e avança rumo à vitória em Minas. A vantagem de Hélio Costa era de 26 pontos no início de agosto e foi reduzida para apenas 5 pontos percentuais em menos de um mês, segundo o instituto. Já Anastasia saltou de 29 para 35%. O resultado confirma o ritmo vertiginoso do crescimento da candidatura à reeleição do governador de Minas,    já indicado nas últimas sondagens do Vox Populi e Ibope.

Conforme o Datafolha, 1.670 pessoas foram entrevistadas nos dias 31 de agosto e 1º de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) sob o número 66737/2010.

Anastasia comemora decisão da Justiça e vai estender benefício a todo o funcionalismo

Anastasia comemora decisão da Justiça que beneficia servidores

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Governador Antonio Anastasia comemora decisão do Tribunal de Justiça que autoriza reposicionamento dos servidores por tempo de serviço

Medida beneficiará 170 mil servidores da ativa e inativos; pagamentos serão feitos em novembro, retroativo a 30 de junho deste ano
O governador Antonio Anastasia comemorou, nesta quarta-feira (01/09), a decisão do Tribunal de Justiça (TJMG) de autorizar o Governo de Minas a realizar o reposicionamento dos servidores por tempo de serviço nas carreiras do Poder Executivo estadual. A medida beneficiará 170 mil servidores mineiros, sendo 129 mil ativos e 41 inativos. O impacto financeiro mensal, incluindo os encargos, será de R$38,176 milhões, pelos cálculos da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, gasto já previsto no Orçamento do Estado.

O decreto que regulamenta o posicionamento dos servidores foi assinado pelo então governador Aécio Neves, em 31 de dezembro do ano passado, mas não entrou em vigor por orientação da Advocacia Geral do Estado, devido às restrições da legislação eleitoral. O Governo do Estado chegou a fazer uma consulta à Justiça sobre a possibilidade de conceder o reposicionamento durante o período eleitoral.

Diante do impasse, o Sindicato dos Servidores Públicos de Minas Gerais (Sindpúblicos), contou com o reconhecimento do Governo de Minas para entrar com uma ação judicial junto ao Tribunal de Justiça.  O governador Antonio Anastasia reiterou que a posição do Governo do Estado sempre foi pelo pagamento, mas que foi preciso aguardar a decisão do Poder Judiciário.

“Houve uma ação judicial, pelo sindicato, com nosso reconhecimento, uma vez que o governo desde o primeiro dia, reitero isso, desde o primeiro dia, se manifestou favorável ao pagamento. Mas tínhamos que ter a segurança que o pagamento não traria problemas de ordem eleitoral. Prestamos as informações devidas ao Tribunal e, felizmente, o Tribunal reconheceu a possibilidade”, afirmou Anastasia, em entrevista concedida durante visita ao município de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Benefício estendido a todos
A decisão do TJMG favorece exclusivamente os servidores filiados ao sindicato, que somam cerca de 6.500 pessoas. Mas o governador Anastasia afirmou que o Estado resolveu estender o benefício ao conjunto do funcionalismo, abrangendo os 170 mil servidores da ativa e inativos. Ele garantiu também que o pagamento será feito na folha de outubro, que será paga no 5º dia útil de novembro, retroativo a 30 de junho deste ano.

“O Tribunal autorizou para os sindicalizados. Por decisão do governo, nós estendemos a todos os funcionários que têm direito ao reposicionamento e isso vai ser concedido retroativo ao dia 30 de junho, como determina o decreto. E será feito agora na folha de outubro, que será paga em novembro”, disse Anastasia.

Tempo de serviço
Em 2005, época da implementação das novas estruturas de carreiras do Poder Executivo, o tempo de serviço não foi utilizado como critério para posicionamento dos servidores, sendo considerado somente o valor do vencimento básico e a escolaridade. Naquela ocasião, o Governo de Minas atendeu a uma reivindicação histórica dos servidores com novos planos de carreiras e tabelas salariais para o conjunto do funcionalismo.

O decreto assinado pelo governador define critérios para a valorização do tempo de serviço no posicionamento nas carreiras da administração direta, das autarquias e fundações do Poder Executivo, visando aperfeiçoar o processo de implementação dos Planos de Carreiras.

Esses critérios foram definidos a partir de negociações com as entidades sindicais e concilia as expectativas dos servidores com a viabilidade financeira do governo para operacionalização do reposicionamento por tempo de serviço, observando, ainda, as regras gerais definidas em lei.

O texto do decreto estabelece, inclusive, que as despesas decorrentes do reposicionamento nas carreiras estarão sujeitas ao limite de gastos com pessoal, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Para cada carreira há uma tabela específica. Cada secretaria ou órgão é responsável pela atualização dos dados de seus servidores que servirá de base para o reposicionamento nas carreiras.

Conforme previsão legal, a contagem de tempo para fins de reposicionamento terá como marco inicial a data do último ato de posicionamento, progressão ou promoção do servidor na carreira antiga. Já o marco final será a data do posicionamento do servidor na nova carreira, ou seja, 1º de setembro de 2005 para os funcionários da Educação Básica, Educação Superior, Saúde, pessoal civil da Polícia Militar, especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental.

Para as demais carreiras do Poder Executivo, o marco final para o cálculo do tempo para o reposicionamento é 1º de janeiro de 2006. Portanto, o tempo de serviço a ser utilizado para o reposicionamento corresponde ao período durante o qual o servidor não foi beneficiado com progressões ou promoções na carreira antiga. No caso dos servidores inativos, será considerado o período anterior à data da aposentadoria.

Aécio afirma que o debate político se esvazia com adversários despolitizando campanha com duelo de popularidade

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ex-governador e candidato ao Senado criticou estratégia de embate entre ele e presidente Lula na disputa no Estado

O ex-governador Aécio Neves criticou hoje a estratégia adotada pela campanha dos seus adversários na disputa pela sucessão ao Governo de Minas. Aécio Neves afirmou que a tentativa de estabelecer um embate entre ele e o presidente da República é artificial e esvazia o necessário debate político que deve ocorrer em torno de ideias e propostas, e não de pessoas. Aécio Neves afirmou que ao desviar o foco das eleições, os adversários abandonaram a discussão dos verdadeiros interesses da população, promovendo claro prejuízo aos eleitores.

“O PT passa por momento muito difícil em Minas. O primeiro deles, lá atrás quando foi impedido de ter candidatura ao Governo de Minas a partir de uma intervenção nacional. Agora, na declaração de uma das suas principais lideranças que me parece absolutamente patética, buscando transformar a eleição em Minas em um concurso de popularidade, despolitizando totalmente a campanha. Lamento que talvez o desespero ou o temor pelas últimas pesquisas eleitorais leve uma liderança, por quem todos tínhamos respeito, a querer transformar a eleição em Minas em um concurso de popularidade aos tempos de Marlene e Emilinha Borba”, afirmou o ex-governador referindo-se à famosa disputa das cantoras da Era do Rádio, nos anos 50.

Aécio Neves afirmou que no período eleitoral é fundamental que o eleitor conheça propostas concretas dos diferentes candidatos para que possa fazer a sua escolha. O ex-governador disse que as campanhas de Anastasia e dele manterão o debate de ideias e não entre pessoas.

“Queremos discutir projetos e programas para Minas Gerais. Em todas as regiões do Estado, estamos discutindo projetos para Minas dentro das fronteiras de Minas. Triste uma candidatura que precisa se esconder atrás de outras lideranças para buscar vencer as eleições. É um momento muito triste esse porque passa o PT em Minas Gerais”, afirmou o ex-governador.

Parceria
O ex-governador afirmou ainda que, mesmo estando em partidos adversários, ele e o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, mantiveram durante oito anos uma postura republicana no relacionamento entre o Governo do Estado e o governo federal. Ele afirmou que seu candidato a presidente, José Serra, também terá uma prática republicana na administração.

“Minas foi o Estado brasileiro que mais avançou em todos os indicadores, tendo aqui um governo que era de oposição ao presidente da República. O presidente teve uma postura republicana com Minas. O candidato do meu partido, José Serra, eu tenho certeza, terá, se eleito, uma posição republicana em relação aos governos estaduais. Minas será respeitada não porque teve um candidato indicado ou apoiado por determinado presidente da República, mas pela força do seu peso econômico, político e pela autoridade do seu governante”, afirmou o ex-governador.

Autonomia
Aécio Neves destacou que o governador Antonio Anastasia é o candidato mais indicado para dar continuidade ao desenvolvimento de Minas e aos avanços conquistados na área social.

“Temos um homem forte que não precisa de um biombo para se esconder. Temos um candidato com toda autonomia sobre quem vão pesar a responsabilidade de governo, a quem a população vai cobrar as ações de governo e quem vai responder a essa cobrança. Quem se esconde atrás de um vice ou de outras lideranças políticas é que não demonstra força, capacidade e autonomia para vencer e para governar. Isso tá ficando muito claro. Temos um candidato extraordinário, eu repito, que não precisa de biombo para se esconder e de muleta para suportar o seu peso nessa campanha eleitoral”, disse Aécio Neves.

Antonio Anastasia afirma que investirá ainda mais na segurança das zonas rurais e na proteção das fronteiras

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Governador destaca redução da criminalidade em todas as regiões do Estado maior do que a média nacional apontada em pesquisa do IBGE

O governador Antonio Anastasia afirmou que, reeleito, promoverá novos investimentos na política de segurança pública do Estado para reduzir ainda mais os indicadores de criminalidade em todas as regiões de Minas. Ele afirmou que dará atenção especial à segurança nas zonas rurais e nas fronteiras do Estado e no aumento do número de efetivo policial. A queda da criminalidade em no Estado foi atestada por pesquisa do IBGE, divulgada na quarta-feira (01/09), que mostra o índice de mortes por homicídios em Minas Gerais abaixo da média verificada em todo o país.

A pesquisa do IBGE, realizada com base nos dados de 2007, mostra em Minas taxa de 20,9 homicídios para cada 100 mil habitantes, taxa inferior à média de mortes no Brasil, que é de 25,4 a cada 100 mil habitantes. Estudos mais recentes realizados pela Fundação João Pinheiro mostram que em 2009, a taxa de homicídios em Minas foi de 17,23 para cada grupo de 100 mil habitantes. Entre 2003 e 2009, a taxa de crimes violentos (homicídios, roubos e assaltos) reduziu 45,2% em todas as regiões do Estado. A queda indica que a ocorrência de crimes violentos em Minas recuou a patamares de 10 anos atrás.

“Reduzimos a criminalidade ao nível de dez anos atrás, mas precisamos reduzir mais. Fizemos um esforço imenso, mas ainda temos indicadores, especialmente em algumas regiões do Estado, que nos preocupam. Vamos agora lançar um programa de segurança rural, é uma área que tem que ser mais atingida, a região do campo tem sofrido alguma violência. Reforçar as nossas fronteiras, porque vem criminoso de fora e aumentar ainda mais o efetivo, para que o cidadão se sinta mais seguro”, afirmou o governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição.

A pesquisa do IBGE apontou, ainda, que Minas tem o segundo menor índice de mortes por homicídios da Região Sudeste e atingiu média inferior à Região Sul (21,4), considerada a menos violenta do país. A pesquisa foi realizada com base nos dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde de 2007. As informações estão no documento Indicadores de Desenvolvimento Sustentável de 2010, que incluem ainda resultados nas áreas de saneamento e saúde.

Integração das polícias

Antonio Anastasia destacou que a implantação do inovador modelo de gestão do Estado e os investimentos na área de segurança pública foram fundamentais para a reversão da taxa de criminalidade em todas as regiões. Desde 2003, o Estado destinou cerca de R$ 26 bilhões para reequipar as forças de segurança, Polícia Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, aumentar o efetivo policial e ampliar o sistema prisional, com acréscimo de cerca de 400% no número de vagas.

“Criamos mais de 20 mil vagas no sistema penitenciário do Estado e extinguimos aquelas antigas masmorras que tínhamos. Fizemos um processo de integração das polícias e aumentamos o efetivo das forças policiais. Transformamos as nossas polícias Civil e Militar, que já é a melhor do Brasil, através de um processo de integração e da chamada polícia inteligente. Mas precisamos mais”, afirmou o governador.

Reduções significativas nas taxas de crimes violentos foram verificadas após a implantação da Integração da Gestão em Segurança Pública nos municípios onde está implantada. Em vigor desde 2005, a metodologia integrada está associada a reduções que vão de 47% a 53% na taxa de crimes violentos contra o patrimônio, 16% a 21% nos crimes violentos contra a pessoa e 13% a 14% nos índices de homicídio.

Programas de Prevenção à criminalidade

Os bons resultados na área de segurança também são atribuídos aos programas de prevenção à criminalidade como o Fica Vivo! e Juventude e Polícia. Desenvolvido pela Secretaria de Estado de Defesa Social em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Ministério Público, o Poder Judiciário e as prefeituras municipais, o Fica Vivo! foi responsável pela queda em mais de 50% dos índices de homicídios nas regiões atendidas, a partir de ações que combinam repressão qualificada e inclusão social.

Referência no país no controle de homicídios, o programa é dirigido a jovens de 12 a 24 anos, moradores de áreas de elevado índice de violência. Está implantado em 25 núcleos de Belo Horizonte e 15 cidades do interior de Minas atendendo 15.200 jovens mineiros em oficinas culturais ou de formação profissional. O Fica Vivo! conseguiu reduzir, em média, em 50% as taxas de homicídio nas regiões atendidas.

Criado em 2004 pela Polícia Militar, em parceria com o Grupo Cultural AfroReggae e o Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC), o programa Juventude e Polícia adotou o modelo de intervenção cultural em comunidades de grande incidência de crimes violentos usado pelo AfroReggae, há 15 anos, nas favelas do Rio de Janeiro. A grande ousadia do modelo desenvolvido em Minas foi a integração da Polícia Militar como principal agente na formação cultural de jovens moradores das áreas de maior risco social.

Anastasia apresenta para universitários suas propostas, em BH

Antonio Anastasia apresenta propostas de seu plano de governo a universitários de Belo Horizonte

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Políticas para a juventude, geração de emprego, meio ambiente e cultura foram os temas levantados pelos alunos da Faculdade Milton Campos

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, teve mais uma oportunidade, na noite de terça-feira (31/08), de estabelecer um contato direto com a população para apresentar propostas e discutir soluções para fazer Minas avançar ainda mais. O governador participou de debate organizado pelos alunos do curso de Direito da Faculdade Milton Campos, em Nova Lima. Cerca de 300 alunos lotaram dois auditórios da faculdade para assistir o confronto de ideias e propostas, mas o outro candidato convidado, Hélio Calixto Costa, do PMDB, não compareceu.

Em sua apresentação, Antonio Anastasia afirmou que sua prioridade é a geração de empregos de qualidade, tanto para jovens quanto para os demais trabalhadores. Para isso, ele prometeu investir ainda mais recursos para atrair novas empresas para o Estado, gerando mais postos de trabalho.

“O emprego é o grande estímulo da sociedade. Com um bom emprego, a família tem mais estrutura. Com a família estruturada, há condições do aluno na escola pública, por exemplo, aprender melhor, ter melhor alimentação, ter mais segurança. Mas não é o poder público que gera empregos, é a iniciativa privada. Por isso, temos que criar um ambiente favorável aos negócios e diversificar nossa economia”, disse Antonio Anastasia.

Juventude
Com a ausência do candidato Hélio Calixto Costa ao debate, Antonio Anastasia foi sabatinado pelos próprios estudantes. O acesso aos auditórios foi livre e qualquer aluno pode fazer o seu questionamento ao governador.

Para uma plateia formada em sua maioria por jovens, Antonio Anastasia foi logo questionado sobre a política de promoção e proteção da juventude. Ele demonstrou o êxito de programas como o Poupança Jovem, que dá R$ 3 mil para alunos que completam o ensino médio em escolas públicas em regiões carentes de Minas, e o Plug Minas, que promove cursos profissionalizantes e de inclusão digital de jovens sob risco social.

“O importante é gerar condições para que o jovem entre no mercado de trabalho. E esses e outros programas vêm atingindo os objetivos. Mas temos dificuldades em universalizar os programas, porque não temos recursos financeiros para fazê-lo. Os Estados, hoje, estão em situação financeira ruim porque temos uma concentração muito grande de recursos nas mãos da União, o que nos impede de ampliar esses programas”, disse.

Cultura
O governador Antonio Anastasia respondeu a perguntas de estudante que assistiam ao debate pela internet sobre os investimentos e propostas para a Cultura. O governador reforçou a proposta de interiorizar os investimentos em Cultura, por meio do Fundo Estadual e da Lei de Incentivo, além de apoiar festivais regionais que sejam referências das manifestações tradicionais da cultura mineira.

“Temos de incentivar ainda mais estes festivais, gerando renda com as atividades e com o turismo”, destacou. O governador ainda disse que está em estudo a criação de programa, em parceria com as prefeituras, para a conservação do patrimônio histórico, como igrejas, casarões e outros imóveis.

Rio São Francisco
A última pergunta dirigida ao governador revelou a preocupação dos alunos também em relação ao meio ambiente e a revitalização da bacia do Rio das Velhas. Anastasia destacou que, em uma iniciativa inédita, o Estado, com apoio de entidades ambientais, conseguiu alcançar a Meta 2010 de despoluição do Rio das Velhas, principal afluente do rio São Francisco, e fixou a Meta 2014, para garantir o retorno da qualidade da água do Velhas na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

“Vamos ‘devolver’ o rio à Santa Luzia e, quem sabe, a Sabará. Para isso, estamos investindo pesado em tratamento de esgoto como nunca se fez antes. O desafio agora é, praticamente, refazer a coleta de rede de esgoto de Belo Horizonte que foi feita de forma errada. Temos que separar a rede de esgoto da rede pluvial”, disse Anastasia.

Aprovação

O desempenho do governador Antonio Anastasia no debate da Faculdade Milton Campos foi aprovado pelos estudantes que estiveram presentes. A estudante do 4º período Laura Fonseca destacou o conhecimento do governador em relação ao funcionamento de todos os setores do Estado.

“Ficou mais que provado que Antonio Anastasia domina todos os assuntos relativos à administração do Estado. Ele não hesitou em nenhum momento e nos passou, com toda a segurança, que ele é o melhor para conduzir”, afirmou.

Bernardo Silviano Brandão, que cursa o 8º período de Direito, destacou a preocupação do governador com a necessidade de geração de empregos, não só para os jovens, mas para toda a população.

“Gostei muito da prioridade que ele dará para a geração de emprego de qualidade em Minas, atraindo novas empresas, o que para mim é essencial para o Estado se desenvolver ainda mais”, relatou o estudante.

O estudante Felipe Palhares Couto Miranda, aluno do 3º período, lamentou a ausência do candidato Hélio Calixto Costa no debate, mas ressaltou que Antonio Anastasia respondeu a todas as perguntas de forma objetiva. Para ele, o governador demonstrou conhecimento dos assuntos e apresentou claramente suas propostas.

“Ele não deixou nenhuma pergunta sem resposta completa e disse de forma clara o que e como pretende fazer. Sem dúvida, ele é o mais capacitado para ser novamente governador de Minas”, disse o estudante.

Narcio Rodrigues, presidente do PSDB em Minas, aponta contradição de Hélio Costa em crítica ao Governo

Presidente do PSDB aponta contradição de candidato do PMDB em críticas a convênios entre Estado e municípios mineiros

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Narcio Rodrigues diz que Hélio Costa também deveria criticar Lula por manter inalterada, durante período eleitoral, assinatura de convênios com prefeituras e estados

O presidente estadual do PSDB e um dos coordenadores da coligação “Somos Minas Gerais”, deputado Narcio Rodrigues, classificou hoje (31/08) como artificiais e contraditórias as críticas feitas pelos candidatos do PMDB à assinatura de convênios entre o Governo de Minas e municípios do Estado. Segundo ele, as críticas servem apenas como ataques gratuitos ao governador Antonio Anastasia, que assumiu a liderança na disputa pela sucessão do Governo de Minas. Prova disso é que o Governo Federal mantém inalterada a rotina de assinatura de convênios com prefeituras e estados no País mesmo no período eleitoral.

“A campanha do candidato do PMDB continua insistindo em criar factóides políticos. Agora, no desespero de tentar reverter a perda de apoio à sua candidatura, decidiu adotar uma postura totalmente contraditória. Em Minas, atacam os convênios absolutamente regulares realizados pelo Governo do Estado e as prefeituras, mas escondem dos eleitores que o Governo Federal, do qual ele e seu vice foram ministros, continua assinando convênios com municípios em todo país. Ou eles assumiram uma postura falsa com o claro objetivo de confundir os eleitores mineiros ou devem dirigir as mesmas graves acusações que têm feito ao governador de Minas também ao presidente Lula”, disse o coordenador da coligação que apoia Anastasia.

Por determinação do governador Antonio Anastasia, as secretarias e órgãos estaduais suspenderam em 3 de julho a assinatura de quaisquer convênios com prefeituras mineiras, respeitando o prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral que veda a transferência de recursos públicos nos três meses que antecedem à data das eleições. Já o Governo Federal suspendeu o repasse dos recursos, mas continua firmando convênios entre a União, estados e municípios brasileiros.

“Em Minas os prazos e procedimentos determinados pela legislação eleitoral foram integralmente cumpridos por orientação expressa do governador. O amplo apoio à reeleição de Anastasia pelos prefeitos mineiros, inclusive do PT e do PMDB, não se deve à velha política do favorecimento. É exatamente o contrário. Os prefeitos apoiam Anastasia porque ele manteve, ao lado de Aécio Neves, uma prática transparente e correta, sem apadrinhados, em favor dos mineiros”, disse Narcio.

Convênio federais
A realização de novos convênios por parte do Governo Federal continuam ocorrendo normalmente em todo o País. No último dia 26, por meio do Ministério da Integração Nacional, a União repassou R$200 milhões ao Estado de Alagoas para obras de reconstrução de infraestrutura. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União.

Já no dia 18, também no período eleitoral, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou empréstimo de R$3,7 bilhões do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para melhorar o perfil de endividamento da Companhia Energética de Goiás (Celg). A medida foi noticiada por diversos veículos de imprensa à época.

A Prefeitura de Registro, em São Paulo, também foi beneficiada por convênios com o Governo Federal durante o período eleitoral. No dia 20, foram liberados recursos para a construção de 380 casas pelo Programa “Mina Casa, Minha vida”.

Prazo limite
Assim como o Governo do Estado de Minas Gerais, o Governo Federal também cumpriu a Lei Eleitoral ao estabelecer o dia 3 de julho como limite para a liberação de recursos por meio de convênios. Nos dias 1º e 2 de julho, segundo apuração do jornal Correio Braziliense, os ministérios do Turismo. Cidades, Esporte e Saúde depositaram nas contas de prefeituras municipais R$166 milhões para obras de abastecimento de água, esgotamento sanitário, quadras esportivas, pavimentação de ruas. A base de dados foi baixada do Siafi (sistema informatizado que registra os gastos do governo) pela ONG Contas Abertas.

A Prefeitura de Ribeirão Preto também foi uma das últimas a ter convênios aprovados pelo Governo Federal antes do limite da Lei Eleitoral. No dia 30 de junho, o Ministério da Agricultura aprovou investimentos de R$2,4 milhões no Parque Permanente de Exposições da cidade.